O segundo dia de VidCon começou como já esperávamos: novamente com muita gente pelo local, filas (assim como no primeiro dia) e com a programação cheia. 

As palestras e painéis possuem em média 20 a 30 minutos de intervalo. Durante esse período a gente aproveita o espaço como pode (afinal tem muita coisa pra ver, né?), mas não podemos esquecer de chegar um pouquinho antes do horário, para não ficar sem lugar na sala.
Nós mantivemos a divisão entre os setores Industry e Creator, assim como fizemos no primeiro dia. Então, vamos ao que interessa. 


O que vimos no segundo dia de VidCon?

1# Streaming

Acompanhamos um painel com Claudia Barbiero e as irmãs Teresi sobre o mercado dos Streamers.

A produção de conteúdo via streaming está cada dia mais forte. A tecnologia é utilizada constantemente por gamers, mas tem espaço pra galera de outros segmentos também.

A média de tempo dos streamers é de 10 horas, mas há os que se destacam permanecendo full time online (o que levantou uma discussão sobre até que ponto isso é saudável para a privacidade das pessoas).

As irmãs Bri & Kate Teresi estavam presentes no painel e comentaram sobre como entraram nesse mercado de streaming sem querer (mesmo) e gostaram muito da interação que tiveram com as pessoas, uma interação muito mais próxima do que nas redes sociais. Hoje as irmãs possuem uma grande comunidade, mas também reforçaram que alguns limites precisam ser impostos, como a proibição de palavras no chat. A partir do momento em que você abre sua vida, você abre também o espaço para interação das pessoas e nem sempre isso é 100% legal.

Mas Streaming é só ficar ao vivo?

Chegamos a um ponto em que o serviço de Streaming é muito mais do que ficar disponível em uma câmera. Hoje os Streamers contam com planejamento de conteúdo e com uma profissão na área. As plataformas possuem forma de monetização e por conta da proximidade da comunidade, o público permanece fiel em relação ao investimento para receber os conteúdos.

“Os Streamers deixaram de ser uma “brincadeira” na internet para ser um negócio.” Claudia Barbiero

2# Facebook & Instagram

Logo em seguida, fomos ver o que a Sharon Kritzer e o Andrew Stinger tinham para compartilhar sobre o Facebook e Instagram.

O painel estava lotado, os creators estavam super ansiosos para saber o que poderiam explorar de novo sobre as redes.

Creators Account

Durante o papo, Andrew comentou que a categoria de Creator ficaria disponível para todos os perfis. O que antes só era possível para quem tinha 10k seguidores ou mais. A galera comemorou essa notícia e logo em seguida, após algumas horas, o aplicativo já mostrava a possibilidade de alteração no perfil.

A conta de criador de conteúdo também possibilita uma maior organização dentro das mensagens. O que antes poderia ser bem exaustivo, para os creators que possuem grande interação com o público.

Insights

Andrew e Sharon também comentaram sobre como é difícil acompanhar os insights pelo próprio Instagram. O que vai ficar bem mais fácil pela interface desktop no Creator Studio. Assim, os usuários vão poder: ver os insights, atualizar o feed, postar no IGTV, com muito mais facilidade.

A plataforma entende que a área de insights é o business dos creators. É como eles justificam o trabalho, então estão empenhados para melhorar esse acesso.

3# Roblox e o novo mercado dos creators

Uma coisa é certa: cada vez mais as plataformas estão trabalhando junto com os creators. Afinal, é uma via de mão dupla. Quanto mais eles produzirem, melhor para as ferramentas e quanto mais possibilidades de monetização, melhor para os creators.

A Roblox, por exemplo, se mostrou como um novo nicho de mercado para os creators. Em um painel com Rod Velloso, MeganPlays, InquisitorMaster e KREW, entendemos como elas viram na Roblox uma oportunidade de mercado.

A Roblox é uma multiplataforma, que possibilita que você crie o seu próprio mundo dentro dos jogos. A Roblox possui mais de 500.000 criadores dentro da plataforma e mais de 30 milhões de jogadores ativos.

Como os creators viram uma oportunidade de negócio?

Eles criam peças como roupas e acessórios para serem utilizados dentro dos jogos e você pode comprar a roupa do creator. Isso mostrou para o público uma forma de incentivar o trabalho dos criadores e também uma forma deles terem essa monetização.

Além disso, para a Roblox é super válido (já que esse trabalho movimenta a plataforma e mostra as diversas possibilidades de criação dentro dos mundos virtuais).

4# Filtros e comunidade

Esse painel reuniu Rhonda Greene e Anrick Bregman, ambos se destacaram dentro do Snapchat pela criação de filtros e o papo foi sobre como eles engajaram uma audiência com a utilização dos filtros.

“A criação dos filtros mostrou um retorno rápido da audiência. As pessoas utilizavam e queriam me mostrar como havia ficado. A conexão com a comunidade foi muito rápida.” Rhonda Greene.

Anrick reforça que para receber o alto engajamento do público, ele compartilha suas criações em outras redes sociais, para que as pessoas saibam que tem um filtro novo na área.

Como os filtros geram conexão com os creators?

A partir do momento que você cria algo para as pessoas usarem, você está aberto para receber um comentário ou uma crítica, por exemplo. O feedback do público, a utilização e o compartilhamento gera uma proximidade com os creators que antes não existia.

5# Como se tornar viral e construir uma audiência?

A palestra com a Ash Blodgett estava lotada! Todos os creators interessados em saber como criar um viral e também construir uma comunidade.

Primeiro ela trouxe uma explicação bem simples sobre o que é um viral:

  • Vídeo com grande quantidade de views de forma exponencial
  • Vídeos com cerca e 4 minutos (ela reforçou bastante esse tempo)
  • Vídeos que geram uma emoção ou sensação: sendo que susto e riso são as emoções que mais geram virais.

Agora sim, vamos entender o que está por trás dos virais da internet. A Ash trouxe informações bem legais sobre a construção de comunidade quando se cria esse tipo de conteúdo.

“Quando se cria um viral, não podemos esperar que a comunidade seja nichada. Viral é um grande número de views e provavelmente essas pessoas não vão virar seus seguidores.”

O trabalho de construção de comunidade deve ser feito com consistência. Não é a partir de um viral e sim a partir de uma sequência, assim que o público entender qual é o seu jeito de criar e ver que tem uma conexão com o seu trabalho, a comunidade começará a se estabelecer.

6# IAB: The Creator Effect – Susan Hogan 

Nessa palestra, ouvimos sobre o relacionamento marcas/consumidor. Sobre como é importante os criadores de conteúdo criarem para indivíduos, não apenas público geral.

E claro, não poderiam deixar de fora os dados!

A importância dos dados e sua relevância para as marcas, para captar informações e direcionar o conteúdo que vá de encontro com o objetivo da empresa, mas que as pessoas se identifiquem.

Outro tópico reforçado foi como ter uma marca disruptiva, criar uma nova jornada nos paradigmas de consumo e sobre os tipos de mídias e plataformas, que são as preferidas por esses novos tipos de consumidores.

Ainda, falando da disrupção da mídia, ouvimos sobre o impacto dos influenciadores na jornada de uma marca, como os super influenciadores  compõem uma grande parte do total de consumidores que chegam até a marca.

O Omnichannel é a uma estratégia que as as marcas devem seguir – Susan Hogan, enfatizando a importância desse tipo de estratégia.

7# Relação empresa + influenciadores

O papo entre Stacy Procter e Dave Grimaldi foi composto pelas suas experiências, sobre como apurar suas divulgações, sobre a relação divulgação/marcas/comunidade, quando você tem uma agência/empresa que cuida de várias marcas, você precisa de vários tipos de influenciadores.

“Os consumidores querem estar perto dos influenciadores, querem fazer parte, e temos que prestar atenção no que o consumidor quer ver, para conectar de forma correta a marca- influenciador e consumidor.

Eles também trouxeram a importância sobre a conexão material, que é o tipo de fala que a marca vai ter com aquele consumidor, como criar uma conexão com ele, seja através de um prêmio, como free acess de alguma coisa, gift cards – Esse tipo de estratégia faz o consumidor criar uma relação com a marca, como por exemplo, ver que ela se importa com ele.

8# Relacionamento + Engajamento + Comunidade

O papo entre Michelle D’Antonio, Alyssa Onofreo, Ryan Chaffee e Jonathan “Wally” Weilbaecher trouxe o foco para a construção de relacionamentos, com o objetivo em comunicação e engajamento.

“Fale com as micro comunidades, como fandoms, se atente sobre qual conteúdo eles querem ver. Foque na qualidade, interação desse conteúdo, fazer testes, perceber comportamentos, tudo isso vai trazer resultados quando falamos de comunidade, principalmente as de nicho.”

Tenha sempre certeza que o seu conteúdo respeita o público. Fale de um personagem amado, um filme, algo muito específico requer conhecimento específico e claro, não tente vender o tempo todo.

Use todas as plataformas de mídia, tenha conteúdo direcionado para trazer o público para a sua plataforma, como por exemplo: usar stories, lives, feed e ferramentas que tragam o público para o seu canal.

9# Uploads e crescimento de audiência

Nessa palestra, ouvimos a A Gwen Miller sobre a importância de ser único para o público.

Você precisa disso para o engajamento do publico com a sua marca. Você precisa de um bom relacionamento com o público, com os fãs da marca e assim, você pode expandir seu público, de forma correta e assertiva. Até mesmo mudar a sua audiência e atingir outro tipo de público.

Ouvimos também sobre a importância de fazer testes e ver como cada tipo de formato performa, e não usar toda a sua força de mídia de uma única vez, em único formato ou teste. Precisamos encontrar práticas, as melhores práticas que se adequem ao seu tipo de conteúdo, e mais uma vez: o uso de testes e pesquisas.

O segundo dia foi cheio, né? Estamos nos encaminhando pro final dessa super experiência na Califórnia!

Não podemos deixar de agradecer a TudoAzul e o Bradesco, que são os nossos patrocinadores oficiais para essa cobertura o/\o

Não esqueça de compartilhar as infos fresquinhas com a galera 😉



Quer receber conteúdos da VIDCON 2019 em seu e-mail?
Cadastre-se:

Talvez você possa gostar