Nada melhor do que iniciativas que movimentam o mercado e incentivam a produção de conteúdo, esse foi o espírito do Stories Festival, que acontecem no dia 19/02, em São Paulo.

O Share foi convidado para participar do evento, então nós pegamos algumas coisas bem legais que vimos por lá, pra compartilhar por aqui 😉

O que é o Stories Festival?

O Programa Stories Festival do Facebook, tem como objetivo premiar conteúdos nativos nos Stories do Instagram. Os participantes deveriam indicar seus conteúdos para concorrer em uma das 5 categorias seguintes: Melhor Anúncio com Stories, Melhor Conteúdo, Melhor Filme Vertical Criativo (Orgânico/Não Publicitário), Melhor Documentário (Orgânico/Não Publicitário) e Melhor Videoclipe.

Aqui o registro da galera que foi premiada! o/

Confira a lista de todos os vencedores.

Doc Stories
1º lugar: “Iconografia Bahia” de @1quarto
2º lugar: “Sri Lanka Real Stories” de @juliabuenoc
3º lugar: “Bonete sem Fim” de @grafoso

Short Films
1º lugar: “Avon Pride” de @avonbrasil (por J. Walter Thompson)
2º lugar: “A arte da escolha” de @w3haus para Bauducco
3º lugar: “Quando seu amigo gosta de todos os esportes” de @mateuspain

Content
1º lugar: “Featuring Me” de @isamarks
2º lugar: “Relacionamento Sério” de @1quarto
3º lugar: “Ensinei Meu Pai” de @avonbrasil (por J. Walter Thompson)

Advertising
1º lugar: “Stories da Seleção” de @voegoloficial (por @ampfy)
2º lugar: “Rainbow Cup” de @the_rainbow_cup (por Agência Mirum)
3º lugar: “Lipton Adicione Sabor” de @estudiomol + SunsetDDB

Painel Diversidade e Comunidade

Além da premiação, o Festival proporcionou aos participantes do evento, um painel sobre diversidade e comunidade, composto por: Rosa Luz (@rosadobarraco), Madama Brona (@br000na), Spartakus (@spartakus) e Maíra Medeiros (@mairamedeiros_).

Rosa trouxe para o painel a importância da conexão com a música. Através da sua arte e do seu trabalho, ela consegue trazer temas que nem sempre conseguimos levantar através do diálogo.

Br000na comentou sobre a necessidade do auto cuidado, da espiritualidade e como é importante falarmos sobre isso na internet. A saúde mental está aí pra ser vista e falada, ela fala sobre auto conhecimento na rede social da perfeição, o que nos faz perceber como é perigoso para a nossa saúde o que consumimos, vemos e assistimos. É importante se cuidar 😉

Spartakus trouxe um contraponto super bacana, sobre como ele estava usando sua própria criatividade para coisas que não importavam pra ele. Agora, as pessoas buscam sobre questões de diversidade e os influenciadores são a plataforma para educar a sociedade.

Uma ponte entre a informação e o público.

Além disso, o assunto publicidade não poderia ficar de fora, né? Falou-se sobre como fazer publicidade com propósitos, através de co-criação e estudo. O que não se pode mais é criar com uma cabeça privilegiada, com visões privilegiadas. É preciso co-criar com a diversidade e levar a diversidade para dentro das agências.

Maíra comentou sobre como o seu início foi diferente do que ela esperava. Uma pessoa que não se sentia interessante, percebeu que não tinha problema algum e que muitas outras pessoas poderiam pensar como ela. Assim, conseguiu tratar os assuntos que trouxe da adolescência de uma forma leve, espontânea e aberta.

Um dos ensinamentos que ficou do painel é que ao compartilhar sentimentos reais, situações e problemas reais, o público se conecta com você. Nada como um conteúdo da vida real, pra gente se identificar, né?

Um lugar de dor é um lugar que ninguém compartilha.

A maior diferença da criação de dentro da agência e como criador é o respeito pela criação.
——-

Pra quem trabalha com comunicação, o evento foi uma oportunidade de ouvir os criadores de conteúdo, entender diversas dificuldades (sociais) que demonstram como a publicidade e nós, estamos passando por muitas mudanças de visão e entendimento sobre as dores de cada um 🙂 Já estamos ansiosos pela próxima edição do Stories Festival o/

Talvez você possa gostar