Vocês já pararam para pensar que, hoje em dia, podemos escolher ser impactado por uma marca pelos anúncios? Acompanhem meu raciocínio: na TV você tinha comerciais, que pausavam aquele programa delícia que você estava assistindo para falar sobre um guaraná, uma comida, um celular, etc. No Youtube, vendo aquele vídeo do seu youtuber preferido, volta e meia aparece um anúncio no meio da playlist?—?e a mensagem: “Skip this ad in 5… 4… 3…”

Ouvindo rádio, você tinha a programação parada por spots comerciais sobre inúmeros produtos. Até no Spotify, se você tem o plano free, você escuta alguns comerciais entre suas músicas preferidas.

Nos cursos de Publicidade e Propaganda, aprendemos como impactar nossos consumidores com spots maravilhosos, comerciais marcantes, jingles que grudam na cabeça e chamadas para outdoor que façam a pessoa ir até seu produto. Na internet, criamos vídeos, anúncios para Spotify, anúncios para site, tudo para impactar o consumidor. Mas o que não aprendemos é:

COMO CRIAR UM ANÚNCIO PARA QUEM NÃO QUER VER O ANÚNCIO?

A grande dificuldade que publicitários têm hoje em dia é conseguir captar a atenção do consumidor/seguidor em menos de cinco segundos. Se muitos achavam um VT de televisão pouco em 30 segundos, imagina como está agora.

O consumidor não gosta de propaganda se ele não está afim de ver uma. Não podíamos pular comerciais de TV?—?era o momento que aproveitávamos para ir no banheiro no meio do filme, fazer aquela pipoca, pegar um copo d’água. Com o Netflix, por exemplo, você não precisa disso. Você consegue ver programas, séries e filmes sem interrupções e tranquilo sem receber propagandas indesejadas.

Lembro de ter ido em uma palestra do Marcos Piangers, no ano passado, e ele fala sobre sua filha que estava acostumada a ver Peppa Pig pelo Netflix. Um dia, em um hotel (e sem Netflix), ela assistiu seu desenho preferido pelo Discovery Kids. No primeiro comercial, Piangers contou que ela gritava:

EU ODEIO PROPAGANDA!

Nada faz mais sentido de dizer que temos o controle em nossas mãos. E não digo o controle remoto da TV, mas literalmente o controle do que queremos assistir. Somos os donos dos conteúdos que assistimos. Quer ver programas de TV sem comercial? Tem o Netflix. Quer ouvir música sem comercial? Assine o Spotify Premium e não tenha sua música pausada. Cansou daquele comercial do Youtube e Google Ads? Instale um AdBlock.

Mais do que fazer anúncios incríveis, memoráveis e que vendam seu produto, agora as agências (e marcas) precisam de estratégias para chamar a atenção do seguidor em apenas cinco segundos. Nada de slogan chiclete, nada de jingle marcante. Você tem que mostrar nesse tempo curtíssimo que a pessoa do outro lado da tela PRECISA ver seu anúncio.

O que faria ela parar alguns segundos da vida dela com a sua marca?

Coloque essa pergunta na cabeça sempre que for criar algo para a internet. Ela poderia estar vendo um vídeo bacana e apenas ter clicado no “skip this ad” que o anúncio mostra. Não seja aquela marca em que usa os cinco segundos do Youtube para falar

Não pula esse vídeo não!

Nós vamos pular.

Não seja aquela marca que usa poucos segundos para não te passar nenhuma informação relevante. Não seja a marca que fica gravada na cabeça das pessoas como “sempre pulo os anúncios da marca X”

Não seja repetitivo. Seja diferente e criativo. Pense em ser a marca em que a pessoa esquece o vídeo que estava vendo e foca totalmente para ver seu comercial.

E antes de criar qualquer anúncio, reflita:

O que sua marca tem de melhor e que pode cativar o seguidor em poucos segundos?

Talvez você possa gostar

Leave a Reply