Todo dia, uma pessoa diferente falando sobre gerações diferentes na timeline. Eu sei, é um papo repetitivo, mas extremamente importante. 

Até porque, a gente precisa cair na real de que quem tá chegando no mundo, uma hora será consumidor, outra hora será o nosso colega de trabalho ou até o nosso chefe, vai saber? Por isso, a gente precisa ficar de olho e tentar entender o comportamento dessa galera. Afinal, conviveremos em sociedade por alguns anos (se tudo der certo).

Mas antes, é importante a gente lembrar que é difícil criarmos definições a partir de gerações. Estamos falando sobre seres humanos, todos possuem suas complexidades, suas vivências, traumas, histórias e perspectivas. Isso tem um grande impacto, não podemos simplesmente pegar um grupo que nasceu em determinado ano, jogar dentro de uma caixinha e rotulá-los. Então, leia este texto com essa ideia em mente, de que somos pessoas e pessoas são diferentes. 

Dito isso, onde será que a Geração Z pretende chegar? 

Vamos trazer aqui, alguns recortes feito pela Forbes e Barna, que a partir de uma pesquisa sobre o que a Geração Z quer em uma carreira, definiram alguns dados bem bacanas.

A tal da Geração Z

A Geração Z é composta por pessoas nascidas entre 1996 e 2010 (ou seja, ainda iremos encontrar muitos profissionais com este perfil). É a Geração que nasceu na era da inovação, redes sociais já estavam presente desde o primeiro suspiro de vida.

Só essa informação, já nos dá uma ideia de que essa galera veio ao mundo com outras perspectivas do que nós, que tivemos que entender toda a questão da chegada das tecnologias. 

Diante disso, o que essas pessoas esperam em uma carreira? São visões e experiências completamente diferentes, então, vamos tentar entender melhor? 

Primeiro que pra ter carreira precisa ser adulto e pra ser adulto precisa ter o quê?

A pergunta foi feita para a Geração Z e para eles, o que marca a vida adulta é:

. Independência financeira

. Maturidade emocional

. Completar 18 anos

. Finalizar os estudos

E o casamento, que era um dos fatores que marcava a vida adulta para os Millennials, nem aparece na lista!  

Sendo assim, já podemos perceber que a independência é muito importante para a Geração Z, são pessoas que levam a sério suas emoções e buscam construir seus próprios caminhos.

Quando se fala sobre carreira, o que é prioridade aqui?

. Segurança

Não digo estabilidade e sim, segurança mesmo. Trabalhar em uma zona segura é uma das prioridades dos jovens profissionais.

. Dinheiro

Essa galera já pensa em investimentos e independência financeira com mais propriedade. A média dos jovens deseja alcançar a independência financeira até os 30 anos (e trabalha para que isso aconteça). 

. Educação

Mesmo pensando no dinheiro, o que vem em primeiro lugar para essa geração é a educação. Finalizar os estudos antes dos 30, está como prioridade nos planos 😉

. Otimismo

São jovens otimistas, que possuem uma visão do futuro bem simples: ter uma vida melhor que a de seus pais.

. Qualidade de vida > salário

Grande parte dessa galera valoriza a qualidade de vida, flexibilidade de horários, saúde mental, felicidade e satisfação no trabalho, do que o valor salarial.

Este ponto, por exemplo, pode ser bem importante quando pensamos no mercado de comunicação. Será que essa galera trabalharia em uma agência de publicidade, virando a noite e comendo pizza? Não sei não, hein?!

. A lista de desejos também conta com:

. Seguir seus sonhos (a gente adora um jovem sonhador)

. Aproveitar a vida enquanto não tem tantas responsabilidades

. Autoconhecimento (uma galera preocupada com saúde mental)

. Conhecer outras culturas e países (viajar é sempre um item importante)

E o último item da lista é: se tornar uma pessoa famosa ou influenciadora.

Aparentemente é uma outra forma de ver a vida, o legal é percebermos como as perspectivas mudam com o passar dos anos. Assim, com a sociedade em transformação, nós e as marcas também precisamos mudar.

Quem não acompanhar o fluxo, sem dúvidas, ficará pra trás.

A Geração Z nos ensinará muito sobre forma de ver a vida, formas de consumir e trabalhar. Uma geração que nasce na era da inovação, sem dúvidas poderá ser muito criativa e preparada para ter muitas carreiras diferentes do que imaginamos um dia.

Chega de carreiras convencionais, o mundo já não é nada convencional mesmo. Vamos aprender com essa galera e ficar de olho nos comportamentos, afinal, eles mudam a todo momento. 😉

Talvez você possa gostar