Clique Aqui e saiba mais

Uma coisa é via de regra, se alguém confiou o e-mail dela no seu banco de dados, o minimo que essa pessoa espera é um conteúdo consumível e de qualidade. E partindo desse pressuposto básico, talvez fique clara a analise sobre qualquer tipo de ferramenta ou veiculo de comunicação que tenha passado pela pergunta: tal coisa não morreu?

Durante o segundo episódio do Talkshare, o podcast do Share, a convidada Luísa Barwinski (Consultora de Marketing Digital na MOT Digital) falou sobre essa confiança e expectativa que uma pessoa deposita ao concordar em receber e-mails de uma marca. Luísa discorre sobre questões como qualidade do material, relevância, personalização, criação de uma relação mais próxima entre marca e cliente e conversão de compra.

Em tempos de Facebook e Twitter pode não parecer, mas o e-mail ainda é relevante; e isso é parte do que você veio descobrir nesse post. É importante desmistificar essa impressão de que o e-mail é uma forma antiquada de se comunicar. Para ajudar a refutar essa impressão, uma pesquisa feita pela Channel Preferences Survey nos mostra que, diariamente, 91% das pessoas entrevistadas checam o correio eletrônico contra 57% de pessoas que checam o Facebook diariamente (mais informações aqui).

E é claro que, se paira essa impressão de que o e-mail está às moscas, o e-mail marketing é uma vitima por osmose. Assim como um post de semanas atrás aqui no blog ajuda a reforçar, o e-mail marketing de fato não morreu. Pesquisas revelam que boa parte das empresas que utilizam o e-mail marketing tem um ROI de cerca de 40%. Afinal, estreitar a relação com o cliente e engaja-lo a enxergar sua marca de uma forma mais amigável e pessoal é um processo difícil e trabalhoso e esse é um dos principais pontos que seu e-mail marketing pode te ajudar.

Para isso, é claro que sempre ficam as dicas de preferir por criar uma base de dados opt-in ao invés de comprar uma, segmentar seu mailing, personalizar e humanizar o quanto puder sua comunicação para que o recipiente sinta que você está falando diretamente com ele, nunca encher a caixa de entrada do recipiente com conteúdo mal planejado ou informações desnecessárias e diversas outras dicas.

Para saber mais, a Share tem o EMKT, um curso de e-mail marketing que talvez te ajude a desbravar esse universo com mais segurança e assertividade. Ou então fique ligado no blog, voltaremos a esse assunto.

Até lá, continue atualizando sua caixa de entrada.


Clique Aqui e saiba mais

Talvez você possa gostar

Leave a Reply