Clique Aqui e saiba mais

Nós alimentamos, em uma base quase que diária, uma cultura de professores. Essas são pessoas que além de sentirem a necessidade tradicional de compartilhar a vida e suas descobertas com o mundo inteiro, ainda procuram alguma forma de transmitir conhecimento, experiências e dar dicas de tudo o que você pode imaginar.

Não à toa, hoje, ao procurar por tutorais no YouTube você encontra desde instalações de chuveiro à aplicação de rímel.

Em um cenário assim, não é tão simples focar e filtrar em o que realmente pode te ajudar. Não é difícil você encontrar webinars, e-books, canais no YouTube de pessoas que repetem conteúdo uma das outras e não te acrescentam em nada. Até que você se pergunta: Se eu não confio nesse material digital, em quem eu confio? A questão não é a plataforma, a questão é lapidar informação e reter o que é bom para você.

A questão que esse post se propõe parece bem generalista, mas essa é a intenção, assim você pode aplicar para as mais diversas áreas do mercado.

A primeira coisa a ser feita quando se busca referência em profissionais do mercado é tentar identificar a base de fãs ou colegas da pessoa que você está estudando. Além disso, é imprecindível manter sempre o radar ligado e questionar tudo o que lhe é dito. Assim, você está seguro de não repetir o que os outros falam ou fazem, e sim absorver.

Após se certificar desses dois pontos, identifique o canal da pessoa de seu interesse e entenda como esse profissional se comunica com seus fãs.

Vamos à um exemplo de aprendizado vivido por mim: Casey Neistat é um famoso vlogger americano que se tornou, há dois anos, um daily vlogger. Na época de estreia de seu daily vlog, Casey era mais um youtuber com audiência mediana na plataforma. Porém, em pouco tempo, depois de começar a vloggar todos os dias, ele partiu de 500 mil à 4 milhões inscritos se tornando um dos maiores influenciadores digitais do mundo.

No caso do Casey, posso elucidar um estudo despretensioso que fiz sobre ele enquanto assistia aos vlogs. Surgiram de cara, três perguntas:

Como as pessoas chegam no Casey?

Por que as pessoas assistem?

Por que as pessoas continuam voltando?

Antes de responder, perceba que essas três perguntas podem ser colocadas como “Como descobrem? Por que consumem? Por que criam relacionamento?”. O sucesso digital está relacionado, entre outras coisas, à esses três pontos na maioria das vezes.

Agora as respostas.

Casey sempre se aproveita de hypes, promovendo a integração do mundo offline e online, a interação humana. Além disso, ele sabe usar seus contatos com outros youtubers para atingir pequenos nichos que talvez nunca soubessem da existência dele.

As pessoas assistem o Casey, pelo que percebo através de comentários no YouTube e no Twitter, porque ele é carismático e sabe trabalhar com storytelling. Casey sabe achar uma história num dia onde não acontece nada, seja construindo algo ou relembrando um vídeo de 10 anos atrás.

Mas por que retornam? Ao redor de Casey existe um background riquíssimo. Ele filmou praticamente os últimos 10 anos de sua vida e usa esses arquivos constantemente para integrar um de seus vlogs. Isso, aliado às inúmeras pessoas que passam de apenas pessoas para personagens de suas histórias, são também culpadas pelo vínculo que é criado entre espectador e produtor, fazendo com que nos tornemos parte de seus dias.

Então, entendo que para Casey relacionamento é gerado a partir de compromisso e sinceridade e o sucesso é dado a partir de qualidade e frequência.

É sempre bom reter dos bons profissionais a filosofia de trabalho que eles compartilham e por que fazem isso. Além disso, entender como atuam em suas respectivas áreas em características como discurso, relacionamento com target e referências que também o inspiraram.

Assim, aliado à fome de absorver, repare em todos à sua volta, afinal, somos uma geração de professores que precisam reaprender a ser alunos.


Clique Aqui e saiba mais

Talvez você possa gostar

Leave a Reply