Já falamos bastante sobre e-mail marketing aqui no Blog Share e garanto à você que um dos pontos mais citados ao falar sobre esse tópico é a formação da sua lista de e-mails, a alma da sua campanha de email marketing.

Primeiro, não se assuste. Montar uma lista consistente é um processo orgânico quando a campanha é bem planejada (e vise-versa).

A primeira dica é quase uma regra: Não compre listas. Afinal de contas, a coisa que você menos quer é uma lista de pessoas que não estão interessadas no que você tem a oferecer. Além de invasivo, as listas compradas de e-mail são ineficientes e na grande maioria dos casos, não geram resultados positivos.

Dito isso, você já vai ter entendido que para formar uma lista consistente, você precisa fazer com que as pessoas te deem para entrar na caixa de entrada delas. Uma das táticas mais usadas para conseguir esses endereços é, por meio de um conteúdo que some algum valor para a pessoa que o consuma, oferecer uma newsletter. O conteúdo não pode ser enche linguiça, não pode ser explicitamente pretencioso. A pessoa precisa sentir que recebeu algo sólido ao consumir seu conteúdo e que o convite para a newsletter vai continuar entregando mais materiais que somem à ela. Crie e se aproveite do FOMO (fear of missing out).

A newsletter é apenas uma das muitas formas de conseguir e-mails. Entre todas as opções, ela é uma das mais simples. Isso se deve ao fato de que possuir os endereços de e-mail apenas pode não ser o que você precisa. Dados como idade, cidade, interesses culturais e outras informações que desenham perfil do seu público é uma arma poderosa durante o planejamento da sua campanha e a segmentação do seu público.

Você pode conseguir informações mais detalhadas através de formulários preenchidos em promoções, cadastramento de contas e coisas do tipo. Essa opção é também, novamente, mais um dos motivos para desaconselhar a compra de listas de e-mail?—?afinal, você só terá o e-mail e não conhecerá a pessoa que está do outro lado.

Além disso, é sempre importante falar de design. Onde estão localizados seus botões de cadastro de newsletter? Está em um lugar visivel o suficiente? Ao terminar uma publicação sua, a pessoa acha sua newsletter naturalmente? Mantenha essas perguntas em mente e tente sempre responder “sim” para elas.

A conversa só começa mesmo depois que a lista está formada. Lembre-se de convidar os amigos do seu recipiente, ofereça um link de recomendação junto aos botões de compartilhamento nas redes sociais.

Facilitar o caminho para que as pessoas percebam naturalmente seu convite aliada a gentileza de não invadir o espaço da mesma (pesquise sobre marketing de permisionamento) é sempre a primeira coisa que deve ser considerada.

Se você reter uma boa base de e-mails, sua campanha já tem meio caminho andado.

Talvez você possa gostar

Leave a Reply